Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
|
|
|

O Programa

Estratégias para a Eficiência Energética

Para promover a eficiência energética em sua área de concessão, a Light tem as seguintes diretrizes: cumprimento das metas regulatórias de investimento mínimo de 60% no segmento de baixa renda e de 20% nos dois maiores mercados de consumo da companhia, que são o comercial e residencial.  

Além disso, se empenha em investir os recursos restantes em projetos do setor público, alinhados às estratégias da empresa e das políticas públicas do Rio de Janeiro, e em projetos pilotos inovadores, sejam eles educativos ou de novas tecnologias. Com isso, reforça sua característica de vanguarda, utilizando e promovendo, sempre que possível, novos procedimentos e novas tecnologias de eficiência energética.  

Complementarmente, a Light busca contribuir, de forma sustentável, para o desenvolvimento de comunidades, investindo em projetos de capacitação, geração de renda e na substituição de equipamentos ineficientes e, por último, na disseminação do uso racional de energia para seus clientes.  

 

Nossa trajetória

Desde o início da obrigatoriedade de aplicação em projetos de eficiência energética, em 1998, o PEE da Light executou 175 projetos, que somam um investimento de R$ 453,10 milhões. A economia de energia decorrente dessas iniciativas é de 726,10 GWh – o que equivale, aproximadamente, a 2,7% do consumo do mercado total da Light SESA em 2015 (26.446 GWh).

A economia de energia acumulada até 2015 corresponde ao consumo médio de aproximadamente 354 mil residências durante o período de um ano, o que equivale ao consumo residencial de uma cidade de 1 milhão de habitantes, como Duque de Caxias.


As ações executadas incluem desde a alteração de processos produtivos, passando pela substituição de equipamentos por equivalentes mais eficientes, nos sistemas de iluminação, climatização, refrigeração, aquecimento de água, geração de energia por fontes incentivadas, até ações educativas e de cunho social, como a contratação de pessoas das próprias comunidades de baixo poder aquisitivo para a execução das atividades previstas nos projetos.

No quadro a seguir, verifica-se que nos anos de 2013 a 2015 o investimento da Light ficou em R$ 111,24 milhões. Constata-se também que a economia de energia obtida nesse mesmo período foi de 57,24 GWh.   

  

Distribuição do Investimento por Tipo de Projeto (%)
Investimento Total
Economia de Energia
Ano
Baixa Renda
Serviço Público
Residencial
Poder Público
Comercial
Educação
Outros
(R$ mil)
(GWh/ano)
2013
72,42
0,97
3,83
4,52
0,04
17,26
0,96
19.720
11,32​
2014
62,60​
0,01
23,95
2,82
0,02
9,64
0,97
38.677
-
2015
74,03
0,00
8,58
 10,66
0,07
3,85
2,81
52.860 
45,92

  

No ano de 2015, o investimento da Light foi de R$ 52,86 milhões em 16 projetos e, conforme determina a Lei 12.212/10, o PEE da Light investiu um valor superior ao mínimo exigido no segmento de baixo poder aquisitivo, correspondendo a 74,03% de seus recursos. Nesse ano, a classe residencial teve sua parcela de investimento reduzida para 8,58%, tendo em vista que o Projeto Prioritário da Chamada 001/2014 da Aneel não foi realizado e nenhum projeto nesse segmento foi apresentado na primeira Chamada Pública de Projetos da Light – CPP 001/2014. O segmento de maior investimento, depois do Baixa Renda, foi o do Poder Público que alcançou 10,66% do investimento total no ano. Em terceiro lugar ficou o educacional que consumiu 3,85% dos recursos.  

O gráfico abaixo apresenta a participação dos investimentos por tipo de projeto em 2015.

                      

 

Investimentos PEE 2015.jpg
 
Projetos concluídos do PEE em 2015 em Educação, Poder Público e no segmento Baixa Renda 

 

 

Educação

Na área de educação, destacam-se dois projetos: o Centro de Demonstração e Eficiência Energética Smart Grid e o piloto Favela Criativa.

O projeto do Centro de Demonstração e Eficiência Energética Smart Grid (CDEESG) tem por finalidade a conscientização de estudantes, professores, profissionais da área energética e o público em geral sobre o tema da eficiência energética. Esse espaço é utilizado como um novo circuito de visitação do Museu Light da Energia. O CDEESG tem como objetivo de demostrar como funciona a rede elétrica no nosso cotidiano e como será no futuro (smart grid). Além disso, esse circuito conta com a demonstração de novas tecnologias de eficiência energética, como chuveiro rewatt, new air e solatube, entre outras.


Com um investimento de R$ 4,24 Milhões , o CDEESG foi inaugurado em julho de 2015, em uma área de 400 metros quadrados, que reproduz uma cidade inteligente com as características do Rio de Janeiro. O espaçorepresenta bairros tradicionais da cidade como Centro, Lapa, Botafogo, Arpoador e Jardim Botânico, além de comunidades. O cenário conta ainda com rua, praça, praia, casas, rede elétrica de distribuição, subestação da Light, biblioteca, sala de reunião e laboratório, coleta seletiva de lixo (em sinergia com o Light Recicla), bicicleta elétrica e simulação de carro elétrico, além de produtos e interações desenvolvidos no Projeto Smart Grid Light.


O Projeto Piloto Favela Criativa foi uma plataforma de ações de geração de oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional para jovens de comunidades pacificadas. O objetivo principal do Projeto Favela Criativa, articulado com o Programa de Eficiência Energética (ANEEL), foi a transformação social, por meio de vivências e de referências positivas que gerassem mudanças de comportamento, inclusive no consumo consciente da energia elétrica, criando condições para a redução de desperdícios e do furto de energia elétrica.

O Projeto Favela Criativa realizou as seguintes ações:


• Ações de formação artística e cultural, realizadas nas Bibliotecas Parque, nas áreas de música, teatro, editoração, audiovisual, literatura.
• Ações para levar cultura à comunidade, como o Circulação Musical, o Circulação Teatral e a construção do Cine Manguinhos, um cinema de alta qualidade, inaugurado na Biblioteca Parque de Manguinhos, que, além de exibir filmes nacionais e internacionais, promove sessões de cine clube para aprofundar questões relacionadas aos filmes e sua produção.
• Ações para incentivar a produção cultural nas comunidades, como o Feira Favela Criativa, que premiou diversos projetos, os quais  foram viabilizados pela Lei de Incentivo à Cultura e  Curso de formação de jovens agentes culturais, capacitando os jovens de cerca de 20 comunidades para que tivessem autonomia para realizar seus próprios projetos.
• Ações para mapear as atividades culturais em diversas comunidades e incentivar a sociedade em geral a conhecer essas iniciativas, como o Circuito Favela Criativa.
• Ações para facilitar a comunicação do Projeto Favela Criativa, como o Portal Favela Criativa e o Favela Transmídia.
• Oficinas lúdicas de eficiência energética foram realizadas com o objetivo de conscientizar os diversos públicos sobre a importância de usar a energia elétrica de forma segura e eficiente, sem correr riscos, sem desperdiçar, sem fazer “gatos”. Essas oficinas foram chamadas de “Quanta Energia”.


O investimento total do Projeto Favela Criativa foi de R$ 11,20 Milhões, sendo R$ 1,90 Milhões referente aos recursos do PEE ANEEL e R$ 9,30 Milhões da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e do Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID.


Poder Público


No segmento do Poder Público foram finalizados dois projetos: o Planetário Climatização e o da Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz.

O projeto Planetário Climatização contemplou a Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, localizada na Rua Vice Governador Rubens Berardo, n° 100 – Gávea – Rio de Janeiro - RJ. O projeto teve por objetivo a implantação de medidas de eficiência energética no sistema de climatização. Foi feita a otimização da central da água gelada, através da substituição de duas unidades de refrigeração de 126 TR por duas novas de 131 TR de alta eficiência energética.


O projeto contemplou ainda a substituição das bombas de água gelada dos sistemas primário, secundário e condensação, por modelos de melhor eficiência. Também foi fornecido e instalado um novo painel elétrico integrado com inversores de frequência, responsáveis pelo controle da velocidade de rotação dos motores das bombas do sistema secundário e monitorado por um sistema supervisório. Para as torres de resfriamento foi realizada a substituição do enchimento e reforma geral.


O investimento do PEE no referido projeto foi de R$ 1,30 Milhões, o que proporcionou uma economia de 896,56 MWh/ano e uma redução da demanda na ponta de 102,98 kW.

O projeto da FIOCRUZ teve por finalidade a implantação de ações de modernização dos sistemas de iluminação (interna e externa) e climatização (ar-condicionado de janela e centrais de água gelada - CAG) da Fundação Oswaldo Cruz.O investimento realizado no projeto foi de R$ 8,80 Milhões e os resultados obtidos foram de 15.949,27 MWh/ano para a economia de energia e 2.538,43 kW para a redução da demanda na ponta.


Segmento Baixa Renda


O Projeto Comunidade Eficiente VII foi elaborado com a finalidade de promover a utilização racional da energia elétrica em comunidades de baixo poder aquisitivo em clientes que estão cadastrados na Tarifa Social de Energia Elétrica – TSEE.


O projeto contemplou as seguintes ações:


• Ações educativas com 61.236 visitas domiciliares;
• Reforma de instalações elétricas em 1.526 residências;
• Substituições de 644.053 lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas;
• Substituições de 36.262 geladeiras ineficientes por novas de maior eficiência;
• Substituições de 3.200 chuveiros elétricos comuns por chuveiros com recuperadores de calor;
• Instalação de 2.200 controladores de temperatura para chuveiros elétricos.


Foi investido nesse projeto o valor de R$ 60,64 Milhões, o que gerou uma economia de energia de 29.076,60 kWh/ano e uma redução de demanda na ponta de 20.985,00 kW.


Residencial


Neste segmento foi realizado o projeto cooperado de Campanha de Divulgação das Bandeiras Tarifárias. Este projeto foi feito sob a coordenação da ABRADEE / ANEEL para esclarecimento à população sobre a aplicação das bandeiras tarifárias na conta de energia dos consumidores. O valor investido pelo PEE da Light foi de R$ 1,45 Milhões.


Critérios para projetos de Eficiência Energética

A Light prioriza projetos de eficiência energética de acordo com os seguintes critérios:

• Contribuir para o aumento da eficiência energética;
• Atender aos interesses dos seus clientes, com a introdução de tecnologias mais eficientes que promovam a redução de consumo e, portanto, de custos;
• Ser de fácil replicação;
• Contribuir para a redução das despesas do Poder e Serviços Públicos, aumentando, com isso, a capacidade de pagamento desses segmentos.
• Atuar na redução de perdas comerciais e no combate à informalidade;
• Obter parcerias que garantam não só a execução do projeto, mas também a manutenção dos resultados e o treinamento e a capacitação de pessoal para a gestão do uso da energia, após a conclusão das ações.


Para mais informações sobre eficiência energética, entre em contato conosco pelo e-mail eficiencia@light.com.br.