Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
|
|

Detalhe da Notícia

Light e Furnas firmam acordo para implantação de Subestação Olímpica

03/02/2014
Corporativo
Nova subestação vai fornecer energia elétrica para o Parque Olímpico na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro

Furnas e Light assinaram nesta sexta-feira (31/01), no Ministério de Minas e Energia, acordo de acionistas para a administração da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Energia Olímpica S.A., que tem como objetivo a implantação de uma subestação (SE) dedicada exclusivamente ao fornecimento de energia elétrica para o Parque Olímpico em construção na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O custo estimado do empreendimento é de R$ 152 milhões e a subestação estará concluída em maio de 2015.
 
Estiveram presentes o Presidente da SPE Energia Olímpica S. A. e Superintendente de Alta Tensão da Light, Wilson Cleber de Oliveira; o Secretário-Executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann; o Presidente de Furnas, Flavio Decat; o Presidente da Light, Paulo Roberto Pinto e outros representantes do setor elétrico.
 
“Furnas fica muito feliz de contribuir para a confiabilidade do fornecimento de energia elétrica durante os Jogos Olímpicos de 2016. Além da SE Olímpica, estamos conduzindo o reforço e a modernização das subestações de Jacarepaguá, São José e Grajaú, com investimento de cerca de R$ 200 milhões, também visando ao aumento da demanda e à segurança do fornecimento durante as Olimpíadas no Rio de Janeiro”, afirmou o presidente de Furnas, Flavio Decat.
 
“A participação da Light, em parceria com Furnas, para a construção da Subestação Olímpica, demonstra o nosso compromisso, como concessionária responsável pelo fornecimento de energia, para a realização dos Jogos Olímpicos na cidade do Rio de Janeiro. A Light também está investindo outros R$ 385 milhões em seu sistema elétrico. Serão realizadas obras de aumento de capacidade, implantação e reconstrução de novas linhas de transmissão, além de construção, ampliação e modernização de subestações de energia, visando maior confiabilidade ao fornecimento de energia para os locais das atividades relacionadas aos jogos e o atendimento ao crescimento da demanda na área de concessão da companhia”, afirma Paulo Roberto Pinto, Presidente da Light.
 
“Gostaria de cumprimentar as equipes técnicas de Furnas e da Light que se envolveram nesse projeto. Quando o COI exigiu uma subestação com essas características para viabilizar o fornecimento de energia com segurança para uma instalação tão importante, e quando esse desafio foi assumido por duas empresas com a história da Light e de Furnas em um prazo tão curto, foi um motivo de orgulho para todos nós. Essa importante obra vai ser um marco para o Brasil e para as duas empresas que aceitaram esse desafio”, disse o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann.
 
A SE Olímpica terá seus barramentos isolados a gás e cabeamentos encapsulados e subterrâneos, permitindo que a estrutura seja mais compacta. Sua potência será de 120 MVA, contando com três transformadores trifásicos de 145 kV a óleo vegetal, uma exigência do Comitê Olímpico Internacional (COI), 51 conjuntos blindados de 15 kV e seis conjuntos de bancos de capacitores, além de sistema digital para proteção e automação. Os ramais subterrâneos de alta tensão em 138 kV farão a ligação da SE Olímpica com as subestações Gardênia e Barra II, ambas de propriedade da Light.
 
O Parque Olímpico da Barra será o principal centro de competição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. A estrutura ocupará uma área de 1,18 milhão de metros quadrados e vai reunir nove instalações esportivas. Após o fim das competições, o Parque Olímpico abrigará o primeiro Centro Olímpico de Treinamento (COT) do Brasil e o mais moderno da América do Sul, voltado para atletas de alto rendimento. O Parque Olímpico contará também com um laboratório de pesquisas nas áreas de nutrição, fisioterapia, medicina esportiva e clínica.
 
Investimento no Parque de Transmissão
 
Furnas vem investindo nos últimos três anos cerca de R$ 1,5 bilhão na melhoria de suas instalações e no reforço e ampliação do seu parque de transmissão. A SE Grajaú, por exemplo, contou com investimento de R$ 183 milhões para a substituição de todas as suas unidades de transformadores e a instalação de duas novas unidades reserva. A revitalização da SE Grajaú vai permitir um aumento da confiabilidade do suprimento de energia para a Zona Norte, Centro e Zona Sul, regiões que abrigarão a maioria dos eventos dos Jogos Olímpicos de 2016, além de maior flexibilidade para futuras manutenções.
 
Em a